domingo, 30 de agosto de 2015

Revisitando Manchester

A primeira vez que visitamos uma cidade temos uma visão parcial do seu povo, de seus costumes e de seu funcionamento. Diria que é como conhecer alguém, temos uma primeira impressão, mas é preciso tempo para saber mais.
 Estivemos novamente em Manchester, desta vez por 11 dias. Tenho a sensação de que já estou mais próxima do que o que a cidade oferece. Recentemente, saiu uma lista das melhores cidades para se viver no mundo e Manchester ocupou o 35o lugar, sendo a primeira na Inglaterra. Se captei bem, é uma cidade que oferece uma acessibilidade incrível para deficientes e mães com carrinhos de bebês, um ótimo sistema de transporte, segurança, muitos parques e espaços verdes, museus gratuitos (grande vantagem e estímulo do governo inglês, não é à toa que nos fins de semana quando fomos eles estavam cheios de crianças), preços baixos das comidas nos supermercados (mesmo passando para kuna chegavam a 3 vezes mais barato que aqui), diversidade cultural e étnica (gente de tudo que é lado, claro, alguns de um lado e outros do outro), um respeito às diversidades e  possui um clima ameno, tendo máximas de 25 graus em pleno verão e não tem um inverno rigoroso (o que para uns é uma maravilha por não ter temperaturas extremas, para outros é um tempinho murrinho sempre com chuvisco e pouco sol). 
Gostei de conhecer melhor esta cidade e passar um tempo com o meu irmão e sua família! É bom tê-los perto!Também achei legal entender a cultura dos parques ingleses pois como o tempo é instável, quando bate um solzinho, é preciso correr para rua para poder aproveitar, daí tantos espaços verdes. Gosto de me dar conta deste tipo de coisa. Às vezes, estamos acostumados com coisas, mas não sabemos a sua origem!

Fonte da imagem: hartleyhallresidence.co.uk

P.S Pra quem quiser saber mais sobre a vida em Manchester minha cunhada escreve o blog https://ukeoutrosquetais.wordpress.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário