quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Até quando?

Há quase oito anos saí do Brasil para viajar pela Europa e pensava em talvez ficar para estudar ou trabalhar por aqui. Tinha terminado um namoro, procurado trabalho e não encontrado. Achava que um outro mundo era possível e logo ao chegar em Madri, percebi que estava certa. Este outro mundo que falo é o que há segurança mínima para se sair na rua a hora que se quer e não se tem medo. Saí de Porto Alegre com medo pois dois domingos antes da viagem fui abordada por um pedinte, na minha rua (num bairro de classe média), que queria 30 centavos. Neguei e fui ao super. Na volta ele estava no mesmo lugar, viu as minhas compras e me pediu novamente. Neguei e ele ameçou jogar uma pedra em mim caso eu subisse a rua. Fiquei em pânico, ninguém na rua fazia nada nem os porteiros. Depois de uns 5 minutos, veio uma moça e chamou a polícia. Naquele dia não tive coragem de sair de casa e nos seguintes morria de medo de encontrá-lo pois ele vagava pela avenida ali perto e tinha receio de ele me reconhecer e me ameaçar de novo.
Passaram-se quase oito anos que moro aqui na Croácia e é a primeira vez que não irei ao Brasil (fui todos os anos). A razão é porque a minha irmã me desaconselhou a ir com a Maíra pois o caos é tão grande, politicamente e nas ruas também. Em Porto Alegre, há umas duas semanas, a Polícia entrou em greve e houve assaltos e linchamentos por vários lugares. Pela minha segurança e a da minha filha resolvi não ir. Penso no absurdo que é isso. Pra quem mora aí, de certa forma, se está acostumado a viver com medo e a sair aos lugares em determinados horários, sempre de olhos arregalados. No entanto pra quem está fora, melhor dizendo pra mim, é inconcebível este modo de vida e pior, como passei tanto tempo longe, não sei mais o quão perigoso é e morro de medo de voltar para visitar. 
Uma hora atrás falei pelo skype com a minha mãe e ela me disse que houve ontem às 16h da tarde um tiroteio na quadra dela e uma pessoa foi morta. Como é que pode? Até quando isso irá acontecer pelas ruas do Brasil? É nestes momentos que dou graças a deus de estar aqui com a minha filha e de ter decidido não visitar a minha família este ano.  Mas o que não sai da minha cabeça é até quando este tipo de coisa ocorrerá e será que no ano que vem não estará pior? Infelizmente não tenho a resposta.

domingo, 30 de agosto de 2015

Revisitando Manchester

A primeira vez que visitamos uma cidade temos uma visão parcial do seu povo, de seus costumes e de seu funcionamento. Diria que é como conhecer alguém, temos uma primeira impressão, mas é preciso tempo para saber mais.
 Estivemos novamente em Manchester, desta vez por 11 dias. Tenho a sensação de que já estou mais próxima do que o que a cidade oferece. Recentemente, saiu uma lista das melhores cidades para se viver no mundo e Manchester ocupou o 35o lugar, sendo a primeira na Inglaterra. Se captei bem, é uma cidade que oferece uma acessibilidade incrível para deficientes e mães com carrinhos de bebês, um ótimo sistema de transporte, segurança, muitos parques e espaços verdes, museus gratuitos (grande vantagem e estímulo do governo inglês, não é à toa que nos fins de semana quando fomos eles estavam cheios de crianças), preços baixos das comidas nos supermercados (mesmo passando para kuna chegavam a 3 vezes mais barato que aqui), diversidade cultural e étnica (gente de tudo que é lado, claro, alguns de um lado e outros do outro), um respeito às diversidades e  possui um clima ameno, tendo máximas de 25 graus em pleno verão e não tem um inverno rigoroso (o que para uns é uma maravilha por não ter temperaturas extremas, para outros é um tempinho murrinho sempre com chuvisco e pouco sol). 
Gostei de conhecer melhor esta cidade e passar um tempo com o meu irmão e sua família! É bom tê-los perto!Também achei legal entender a cultura dos parques ingleses pois como o tempo é instável, quando bate um solzinho, é preciso correr para rua para poder aproveitar, daí tantos espaços verdes. Gosto de me dar conta deste tipo de coisa. Às vezes, estamos acostumados com coisas, mas não sabemos a sua origem!

Fonte da imagem: hartleyhallresidence.co.uk

P.S Pra quem quiser saber mais sobre a vida em Manchester minha cunhada escreve o blog https://ukeoutrosquetais.wordpress.com

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Mudança de referências: férias

Sol, calor, mar, suor, pessoas e muitos banhos de mar! Pela primeira vez em 7 anos e meio de Croácia alugamos uma casa e aproveitamos o país como se fôssemos turistas (exceto o cruzeiro que fizemos). Essa é a parte ruim de trabalhar com turismo pois enquanto todo mundo tá curtindo a gente tá trabalhando.
É interessante perceber como estou passando por uma mudança de referências em relação às férias e ao verão. Até então, pra mim, verão era janeiro e fevereiro no Brasil e julho e agosto aqui era só uma preparação para lá. No entanto, comecei a me dar conta que já não é mais assim, nos últimos anos mal passei na praia quando estive no Brasil no fim do ano e provavelmente não iremos este ano para lá nesta época. Fora isso, a curtição de praia que estou acostumada, isto é, caminhar na areia, jogar frescobol, pegar jacarezinho, entre outras coisas, não existe por aqui. Estou aprendendo a curtir a praia daqui e me preparar, ou seja, é preciso de sapatos pro mar, boia pra nadar, máscara de mergulho, toalhão ou algo mais grosso pra deitar nas pedras ou na laje! Sim, aqui na Croácia praias com areia são raras, não só na Croácia, mas na Europa toda. Mosquitos existem aqui e lá, portanto, não é só nos trópicos!
Bem, posso dizer que o vou sentir falta de fazer castelinhos na areia com a Maíra, passear pela beira da praia, mas o importante é que o mar daqui além de ser lindíssimo é muito gostoso para banho, mesmo sem ondas! Nada que um bom sapatinho para tomar banho nas praias de pedrinha e pedra e a diversão está garantida! Que dá saudade de nossas praias, isso dá, mas faz parte de morar longe.


Fonte da imagem: http://www.croatia-expert.com/mimice/

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Dicas básicas sobre a Croácia

Pra quem tiver interesse, saiu num site um texto meu sobre dicas básicas sobre a Croácia!

 http://blog.sealbag.com.br/croacia/

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Maribor!

Neste fim de semana fomos pela segunda vez a Maribor, uma cidadezinha na Eslovênia, que fica a uma hora de Zagreb. Pela primeira vez dormimos lá e foi muito legal! Gosto muito da arquitetura austríaca das cidades da Eslovênia, acho muito charmosa e homogênea, os centros históricos cheios de cafés, lojas, lugares para passear e desfrutar.
A cidade é cortada por um rio, o Drava, como muitas europeias. Muitos cafés têm brinquedos para crianças nas ruas e os restaurantes têm cadeirinhas para bebês, o que ajuda muito na hora das refeições. O povo é simpático e tranquilo.Um bom lugar para passar o fim de semana!

                                     Fonte da imagem: bloghihostels.com
                                     Fonte da imagem: esn.htu.tugraz.at

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Montenegro

Fiquei sabendo que passou no Brasil o Globo Repórter sobre Montenegro e vou aproveitar a deixa pra falar um pouquinho sobre este belo país! Vizinho da Croácia, Montenegro tem uma bela costa e lindos parques naturais. Já escrevi aqui sobre o Parque Durmitor e a cidade de Kotor, mas ainda há vários outros lugares interessantes para visitar como Risan, Sveti Stefan, Herceg Novi, a badalada praia de Budva entre outros. A capital, Podgorica, não conheço, pois na hora de fazer o roteiro para viajarmos pelos Balcãs meu marido achou que não valia a pena, então não tenho o que escrever.
Montenegro tem euro como moeda, mas ainda não faz parte da União Europeia, está em negociação. O país tornou-se independente da Sérvia em 2006 e portanto também fez parte da Ioguslávia. A religião predominante é a cristã ortodoxa. A língua é o montenegrino que é muito parecida com o sérvio. Na verdade, exceto o esloveno e o macedônio, o croata, sérvio, montenegrino e bósnio são bem semelhantes e podem se compreender tranquilamente.
Pra quem está visitando Dubrovnik, dá pra fazer um passeio de um dia para Kotor e Budva. Recomendo, pois é lindo e vale muito a pena!
Bem, algumas fotos de Sv. Stefan, Kotor, para conhecerem um pouquinho mais!

                                             culturaeviagem.worldpress.com
www.charterworld.com


http://allworldtowns.com/data_images/countries/montenegro/montenegro-01.html

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Dubrovnik!

Até agora não tinha escrito um post sobre Dubrovnik pois achava que não conhecia o suficiente para poder falar sobre a famosa "pérola do Adriático". Bem, as coisas  mudaram pois fim de semana passado fomos para lá! 
Dubrovnik, assim como Split, é uma cidade que para conhecê-la de verdade é preciso dormir nela, vagar pelas ruas sem rumo e desfrutar de sua beleza. Para quem pode, sugiro ficar hospedado dentro das muralhas, deve ser uma experiência e tanto, mas como é muito caro e tem poucos hotéis (há muitos quartos para alugar e apartamentos) fica mais difícil. O interessante deste lugar é a conservação de todo o centro histórico, suas muralhas imponentes, os diversos restaurantes, bares, lojas, apartamentos que fazem a cidade vibrar em qualquer parte do ano, praticamente. Fomos no fim de maio e já estava coberta de turistas por todas as partes.
Para se ter uma boa visão das famosas muralhas pode se ir no funicular que se encontra no centro, fazer um passeio de barco ou até mesmo ir no mirante da estrada em direção ao sul. De fato os cartões postais fazem jus à sua beleza!
Fomos de avião e gostei muito da experiência pois a vista de cima das ilhas e do litoral é de tirar o fôlego e de Zagreb precisa somente cerca de uma hora! Já na volta, viemos de carro e a paisagem também foi maravilhosa pois a estrada até Ploce vai costeando pelo litoral. Depois se tem a opção de ir pela autoestrada para quem quiser ou seguir pela mesma.
Dubrovnik realmente merece a visita. Boa viagem!

Fonte da imagem: www.telegraph.com.uk
Fonte da imagem: virtualtourist.com