segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Desde que cheguei na Croácia, observo que o escritor mais famoso brasileiro e conhecido é o Paulo Coelho. Há livros dele por todos os lugares: casas, bibliotecas, livrarias, etc. Parece que ele já veio uma porção de vezes pra cá.Como nunca li suas obras, não posso falar nada e quando digo isso, os croatas se surpreendem, pois volta e meia alguém leu algo.
Semana passada, me surpreendi com o que vi: um cartaz na livraria da praça principal conforme a foto abaixo! Pois é, o livro do Jorge Amado, Gabriela Cravo e Canela em croata! Me deu até vontade de ler em croata pra ver se conseguiram passar o jeitinho baiano para essa língua!

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

O Brasil visto de fora

Gosto muito de assistir a documentários nacionais e internacionais sobre o Brasil. Sempre é interessante ver o que estão fazendo e a forma que veem o nosso país, ainda mais pra mim que estou fora.
Aqui na Tv croata está passando um programa muito bom realizado pela BBC, com o Michael Palin (um dos atores do Mont Python) sobre o Brasil: Brazil with Michael Palin. Assisti a uma parte sobre a Amazônia e achei excelente.
http://www.youtube.com/watch?v=unGkVQyoEYE

Recomendo também Brasil, Brasil-Samba to Bossa Nova, sobre a música brasileira.
http://www.youtube.com/watch?v=D-a_-GGaq3w

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Friozinho e cuca de uva

Que o tempo está louco, todo mundo sabe. Essa noite fez 4 graus e de manhã 6! Durante o dia deu uma esquentada, mas com o friozinho que fez já deu pra ligar o aquecimento. Já na costa tá lindo e tem gente pegando praia!
Como o friozinho me lembra a serra gaúcha e agora é época de uvas, resolvi fazer a minha cuca predileta! Nunca tinha feito, só de outros sabores. Procurei na internet e achei uma receita num blog pela cara da foto e deu certo a escolha! Ficou uma delícia!
Recomendo totalmente, aqui vai o link: http://trocarreceitas.blogspot.com/2011/10/cuca.html

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

A vida na Croácia

Muitas pessoas me perguntam como é a vida na Croácia. Já falei aqui, em outros posts e acabei pensando mais sobre o assunto novamente. O que percebo que me agrada, principalmente agora, ao criar um filho é a segurança; o sistema de saúde que funciona (tenho muitas críticas, mas funciona); a educação que é praticamente gratuita, ainda; o sistema de transporte que é bom; as distâncias que são pequenas e o trânsito que  não é tão grande, portanto não se perde muito tempo nos deslocamentos e é claro, a beleza do país. Todos esses aspectos colaboram para se ter uma grande qualidade de vida. No entanto, é necessário ter um bom trabalho, ou geralmente, vários para poder desfrutar.O desemprego é muito alto, principalmente entre os jovens. Conheço pessoas graduadas que estão trabalhando temporariamente por salários baixíssimos e limpando casas para poder sobreviver. 
 Para o padrão croata, o custo de vida é bem caro, comparando ao Brasil, não tanto. Além disso, poucas são as pessoas que conseguem aproveitar o país como os turistas. Hoje, a Croácia é a terceira maior atração turística europeia, mas quem vive aqui não consegue desfrutar das maravilhas. Geralmente, as famílias têm as suas casas na praia e ficam o tempo todo lá. Os preços, na costa, são caríssimos para os baixos salários e impossibilitam a viagem entre as cidades. Na verdade, como tem havido tanto turismo, o melhor mesmo é viajar fora da temporada de verão, pois as cidades têm estado abarrotadas de gente e os preços  lá em cima.
Este fim de semana, descobri mais uma coisa que me encanta por aqui, o costume de plantar árvores frutíferas nas casas. Nos bairros mais fastados do centro, se veem muitos pomares. Na nossa casa nova, ontem colhemos as frutas abaixo: que incrível e que luxo poder comer sem agrotóxico e direto do pé!



terça-feira, 3 de setembro de 2013

Os pais croatas

Desde  que vim morar aqui, sempre me chamou a atenção o número de pais que saem para passear com os seus filhos. Eles estão nas ruas, parquinhos, pracinhas, etc. Além disso, conforme o que dizem algumas mulheres que conheço, e agora o meu marido, vejo que alguns deles ajudam em casa, trocam fraldas, põem o bebê pra nanar, cozinham, passam, lavam, etc. É claro que não são todos! Há vários bem conservadores e machistas, enfim...depende da educação que se tiveram.
Uma coisa que gosto muito daqui é o ritmo de vida mais devagar, as pessoas têm mais tempo livre e consequentemente, os pais podem colaborar mais. Tenho a sensação que tudo é mais tranquilo e se aproveita mais. O tempo de trabalho é 8h, mas há meia hora de almoço incluído neste. Isso explica o enorme número de pessoas nos cafés durante o dia. 
É bom aproveitar o que há de bom em cada lugar!