Pular para o conteúdo principal

A Tailândia é aqui





Para experimentar novos sabores e temperos não é preciso ir muito longe. Hoje, depois de o Jerko guiar um grupo de tailandeses, fomos com eles provar a sua culinária. Até então, só tínhamos comido espetinhos congelados tailandeses além de um molho muito picante e gostoso que ele tinha ganhado de uma guia. Pra nossa surpresa o almoço foi incrível! Sabores novos, ingredientes conhecidos e um pouco picantes, a comida tailandesa foi uma deliciosa descoberta. Já sabemos onde iremos comer fora da próxima vez.
Nas fotos temos:
Legumes no wok com arroz direto da Tailândia (a guia trouxe na mala!).
Peito de frango num molho típico que não me lembro o nome!
Sopa de frango com leite de coco.
Sopa de missô com tofu e legumes.
Bom apetite e boa tarde de domingo!

Comentários

  1. Marília, aqui em casa adoramos comida thai. Ou fazemos caseira ou compramos nas tokos espalhadas por toda a cidade. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Simone
    coisa boa! Achei muuuuuuuuuuuuuuito boa! Que sorte que tens por perto onde comprar ingredientes!
    Beijo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Turismo no inverno Croata

Esse fim de semana estivemos com duas turistas brasileiras aqui em Zagreb . Depois de fazermos o city-tour, o passeio pelos castelos fomos para os Lagos Plitvice. Não sabíamos exatamente como estariam os lagos, somente que parte estava congelada, algumas trilhas fechadas e um trecho da estrada não estava limpo. A prova que não estamos acostumados a fazer turismo no inverno por achar que não há muito o que ver, pra mim, caiu por terra. Nesse passeio vimos uma das paisagens mais lindas que podia imaginar. Cena de filme, tudo branco, só nós na estrada e muita neve. No caminho paramos em Rastoke , um lugarzinho com moinhozinhos cercados de quedas dágua, um amor! No verão, as pessoas páram no meio da estrada pra tomar banho de rio. Depois, chegamos ao Parque Nacional Plitivicka Jezera , com 16 lagos, que é protegido pela Unesco como patrimônio da humanidade, desde 1979! Geralmente, a cor da água é de um tom incrível, meio esverdeado ou azulado pra alguns. Dessa vez, est

Casamento à la croate!

Ontem fomos ao casamento da prima do Jerko. Na hora em que cheguei lá pensei que aquele momento viraria um post certo! As comemorações de casamento aqui são muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito diferentes das nossas no Brasil!Vou citar alguns aspectos que me chamaram a atenção ontem. Vamos começar: as pessoas aqui se encontraram antes da cerimônia, cada família em sua casa, às 14h30, e depois o noivo foi até a casa da noiva, com banda de música buscá-la. Nesse meio tempo as pessoas comeram, beberam e conversaram (adoro esta parte, pena que não haja muitas coisas sem carne e os doces sejam tão diferentes dos nossos), depois foram até a igreja. Na ida pro salão, eles fizeram uma fila de carros e passaram a buzinar pelas ruas, com o pisca ligado, com laços nos carros e a bandeira croata pra fora (ela SEMPRE SE ENCONTRA PRESENTE)! Depois disso, veio a clássica entrada do casal, a primeira dança, a dança com os pais e padrinhos... Não sei se no Brasil tem casamentos assim ou eu que não sou muito

Desfazendo mitos

Quando viajei pela Europa, em 2008, li uma revista de viagem com dicas de lugares para visitar. Havia um artigo sobre a Croacia e naquele momento nem passei os olhos, muito menos pensei sobre aquele pais distante. Logo que conheci o Jerko, a mae me lembrou daquela reportagem e rapidamente a li pra saber um poquinho mais sobre a terra do meu amado. A primeira vez que falei pra minha familia que tinha me apaixonado por um croata e estava indo morar na Croacia , todos falaram que eu tinha enlouquecido, que estava indo morar no meio da guerra, no meio dos balcas - um lugar tri perigoso, etc. Me dei conta esses dias, depois de quase tres anos morando aqui, que os croatas que vao ao Brasil costumam ouvir os seguintes comentarios: que sao loucos, vao ser mortos por uma bala perdida, o que querem fazer num dos paises mais perigosos do mundo, etc... Enfim, acho que com o tempo e um maior conhecimento dos lugares a gente acaba desfazendo alguns mitos que sao criados. No fim, os lugares na